06/11/2020

Aprovadas medidas de 1550 milhões de euros para apoio às empresas

 

O Conselho de Ministros aprovou novas Medidas de Apoio à Economia no montante global de 1550 milhões de euros, sendo 750 milhões para apoio a micro e pequenas empresas mais afetadas pela pandemia.

 

Está também prevista a criação de novas linhas de crédito com garantia pública de 800 milhões, incluindo 160 milhões a fundo perdido, afirmou o Ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira, na sua apresentação, em Lisboa.

 

Uma das novas linhas de crédito é destinada a empresas que prestam apoio a eventos culturais, festivos, corporativos, desportivos, seminários, espetáculos, entre outros. "Estamos a pensar nas empresas que montam stands nas exposições e feiras, nas empresas que montam equipamentos de luz, som e audiovisual", detalhou o ministro, "que neste momento têm quebras muito significativas de atividade".

 

Para estas empresas será aberta uma linha de crédito, em que 20% do valor do crédito será convertido em subsídio a fundo perdido, "se até ao final de 2021 houver manutenção dos postos de trabalho".

No âmbito das novas medidas está a criação do Programa Apoiar.pt «que consiste em subsídios a fundo perdido e micro e pequenas empresas» que tenham tido «quebras de faturação superiores a 25% nos primeiros 9 meses de 2020, que tivessem capitais próprios positivos no final de 2019, e que tenham a situação regularizada com o fisco, a segurança social e o sistema bancário».

 

Notícia completa aqui

 

Candidaturas abertas até 7 de setembro

SI INOVAÇÃO PRODUTIVA – TERRITÓRIOS DE BAIXA DENSIDADE

 

Tipo de apoio

O SI Inovação possui um sistema híbrido de apoio, que consiste na combinação de duas operações, uma com incentivo não reembolsável, associado à aferição do cumprimento dos resultados em função dos objetivos alcançados, e uma outra com um instrumento financeiro de garantia (reembolso de capital e isenção de juros).

 

Objetivos

- Reforço da capacitação empresarial das PME para o desenvolvimento de bens e serviços, através do investimento empresarial em atividades inovadoras e qualificadas que contribuam para sua progressão na cadeia de valor.

- Aumento do investimento empresarial das grandes empresas em atividades inovadoras (produto ou processo), reforçando o investimento empresarial em atividades inovadoras, promovendo o aumento da produção transacionável e internacionalizável e a alteração do perfil produtivo do tecido económico, através do desenvolvimento de soluções inovadoras baseadas nos resultados de I&D (investigação e desenvolvimento tecnológico) e na integração e convergência de novas tecnologias e conhecimentos e ainda para a criação de emprego qualificado

 

Nesta medida de apoio existe um enfoque em investimentos no domínio da diferenciação, diversificação e inovação, na produção de bens e serviços transacionáveis e internacionalizáveis, no quadro de fileiras produtivas e de cadeias de valor mais alargadas e geradoras de maior valor acrescentado.

 

Tipologias

A criação de um novo estabelecimento;

O aumento da capacidade de um estabelecimento já existente;

A diversificação da produção de um estabelecimento para produtos não produzidos anteriormente no estabelecimento;

A alteração fundamental do processo global de produção de um estabelecimento existente;

 

Beneficiários

Os beneficiários dos apoios previstos no presente Aviso de concurso são empresas (PME e grandes empresas) de qualquer natureza e sob qualquer forma jurídica.

 

 

Área geográfica de aplicação

O presente Aviso de concurso tem aplicação nas regiões NUTS II do Continente (Norte, Centro, Alentejo e Algarve), nos territórios de baixa densidade definidos pela CIC Portugal 2020 (Deliberação n.º 20/2018).

 

Requisitos específicos do Aviso

Apresentar uma despesa elegível total, aferida com base nos dados apresentados na candidatura, inferior a 25 milhões euros;

Apresentar um mínimo de despesa elegível total por projeto de 75 mil euros;

 

Mais informações: geral@ifdep.pt

Incentivos a Fundo Perdido 100%

+CO3SO EMPREGO

 

O que é?

O +CO3SO Emprego é um programa que visa apoiar a criação de emprego e empreendedorismo. O programa apoia os custos inerentes à criação de novos postos de trabalho.

 

Que tipologias existem?

+ COESO EMPREGO INTERIOR

+ COESO EMPREGO URBANO

+ COESO EMPREGO EMPREENDEDORISMO SOCIAL

 

Exemplos de intervenções possíveis:

Criação do próprio emprego

Criação de postos de trabalho por conta de outrem, de desempregados, inscritos no IEFP

Criação de postos de trabalho para pessoas que não tenham registos na segurança social nos 6 meses anteriores à contratação.

Criação de postos de trabalho para destinatários com qualificação de nível 5, 6, 7 ou 8, inativos ou desempregados (apenas para o + CO3SO Emprego Interior)

 

Quem pode beneficiar?

Empreendedores, Micro e Pequenas empresas das Regiões Norte, Centro, Lisboa, Alentejo e Algarve.

 

Que setores estão excluídos?

Pescas, Aquicultura, Produção Agrícola Primária e Florestal, Transformação e Comercialização de Produtos Agrícolas, Diversificação de Atividade mas Explorações Agrícolas, Financeiras, Seguros, Defesa, Lotaria e outros Jogos de Aposta.

 

Quais das formas de Apoio?

Incentivo não reembolsável (fundo perdido)

Comparticipação integral (100%) dos custos diretos com os postos de trabalho (remuneração base + despesas contributivas) durante 36 meses

Uma taxa fixa de 40% sobre os custos referidos na alínea anterior para financiar outros custos associados à criação de postos de trabalho.

 

Qual a duração do apoio?

36 meses

 

Quais as fases de concurso?

1ª fase até 15/09/2020

2ª fase até 16/11/2020

 

Caso tenha interesse em obter mais informações queira pf contactar-nos através do email geral@ifdep.pt

 

 

Programa de Apoio

Empreendedorismo Feminino

 

Sabia que na União Europeia as mulheres representam apenas um terço dos trabalhadores independentes?

O EWA-Empowering Women in Agrifood é o novo programa @EITFood que, em parceria com a @BuildingGlobalInnovators, visa atender às aspirações das mulheres no setor agro-alimentar, levando-as a desenvolver empresas sustentáveis com sucesso.

Descubra mais aqui https://bit.ly/3eQmq1l e candidate-se até 15 de Junho!"

 

 

COVID - 19

Avisos de candidaturas ao programa Adaptar já estão abertos | 100 milhões de euros para apoiar empresas

 

Os avisos para as candidaturas ao Programa Adaptar, que contempla apoios para as micro, pequenas e médias empresas se ajustarem às regras do desconfinamento,foram hoje publicados. Oacesso ao programa faz -se através de um regime simplificado de candidatura,

 

Com uma dotação de 100 milhões de euros, o Programa Adaptar, concretiza-se em 2 avisos distintos :

 

a) Aviso para microempresas, com uma taxa de cofinanciamento de 80% para despesas entre os 500 e os 5.000 destinados a cobrir os custos com a aquisição de equipamentos de proteção individual necessários para um período máximo de seis meses para utilização pelos trabalhadores e clientes em espaços com atendimento ao público, nomeadamente, máscaras, luvas, viseiras e outros;aquisição e instalação de equipamentos de higienização e de dispensa automática de desinfetantes, bem como respetivos consumíveis, para um período máximo de seis meses, nomeadamente soluções desinfetante;Contratação de serviços de desinfeção das instalações por um período máximo de seismeses; aquisição e instalação de dispositivos de pagamento automático, abrangendo os que utilizem tecnologia contactless, incluindo os custos com a contratação do serviço para um período máximo de seis meses e custos iniciais associados à domiciliação.  O acesso a este instrumento  faz -se através de um regime simplificado de candidatura. E são elegíveis as despesas realizadas desde 18 de Março, data da declaração do estado de emergência.

 

O aviso funciona em contínuo e será suspenso quando esgotada a dotação.

 

b) Aviso para PME , com uma taxa de cofinanciamento de 50% para projetos com montante máximo de 40 mil euros para cobrir os custos de investimento diretamente relacionado com a qualificação de processos, organizações, produtos e serviços das PME, nomeadamente a adaptação dos seus estabelecimentos, métodos de organização do trabalho e de relacionamento com clientes e fornecedores, às novas condições do contexto da doença COVID-19, como sejam os custos com a reorganização e adaptação de locais de trabalho e/ou alterações de layout, que permitam implementar as orientações e boas práticas das autoridadescompetentes no contexto da doença COVID-19, designadamente, medidas de higiene, segurança e distanciamento físico; a aquisição e instalação de equipamentos de higienização e de dispensa automática de desinfetantes;a aquisição de serviços de consultoria especializada para o redesenho do lay-out das instalações e para a elaboração de planos de contingência empresarial e manuais de boas práticas.

 

Este aviso está aberto até 30 de junho de 2020.

 

 

Mais informações aqui

COVID - 19

SI INOVAÇÃO PRODUTIVA COVID 19

 

Encontra-se aberto o SISTEMA DE INCENTIVOS À INOVAÇÃO PRODUTIVA NO CONTEXTO DO COVID-19.

 

ATIVIDADES ENQUADRÁVEIS

Desenvolvimento de medicamentos e tratamentos relevantes (incluindo vacinas), seus produtos intermédios, princípios farmacêuticos ativos e matérias-primas;

Dispositivos médicos e equipamento médico e hospitalar (incluindo ventiladores, vestuário e equipamento de proteção, bem como instrumentos de diagnóstico) e as matérias-primas necessárias;

Desinfetantes e seus produtos intermédios e substâncias químicas básicas necessárias para a sua produção e ferramentas de recolha e processamento de dados.

 

A medida visa apoiar empresas que pretendam estabelecer, reforçar ou reverter as suas capacidades de produção de bens e serviços destinados a combater a pandemia do COVID-19, incluindo a construção e a modernização de instalações de testes e ensaios dos produtos relevantes fazer face à COVID-19, para suprir as necessidades da sociedade atual, redirecionando, ainda que de forma temporária, a sua atividade para essa produção ou alavancando a sua capacidade produtiva existente em bens e serviços relevantes do COVID - 19.

Incluem-se nestas tipologias os projetos de inovação de produto (bens e serviços) ou de processo através de novos ou melhorados métodos de fabrico, de logística e distribuição, bem como métodos organizacionais ou de marketing e ainda de projetos de expansão de capacidade que aumentem a oferta de bens e serviços destinados ao combate do COVID 19.

 

 

APOIO

Esta linha de apoio assume uma forma de subvenção não reembolsável, sendo aplicáveis as seguintes taxas de cofinanciamento:

 a) A taxa máxima de incentivo a atribuir é de 80%;

 b) A taxa referida na alínea anterior pode ser majorada em 15 p.p. se o projeto for concluído no prazo de 2 meses a contar da data da notificação da decisão favorável da Autoridade de Gestão.

 

 

ELEGIBILIDADE DE DESPESAS

São consideradas despesas com data de início dos trabalhos a partir de 1 de fevereiro de 2020.

 

 

MONTANTES MÍNIMO E MÁXIMO DE INVESTIMENTO

Os projetos deverão ter um mínimo de despesa elegível total de 25 mil euros e inferior ou igual a 4 milhões euros.

 

 

DATA LIMITE DE CANDIDATURAS

Ao abrigo deste concurso o prazo para a apresentação de candidatura decorre até ao dia 29 de maio de 2020 (19 horas).

 

 

PROCEDIMENTOS DE ANÁLISE E DECISÃO DAS CANDIDATURAS

A decisão sobre uma candidatura é realizada num prazo de 7 dias úteis após a data de apresentação da mesma.

 

Caso pretendam mais informações queiram pf contactar através de geral@ifdep.pt

 

 

COVID - 19

MICROEMPRESAS DO SETOR DO TURISMO

 

Foi publicado o Despacho Normativo n.º 4/2020 - Diário da República n.º 60/2020, Série II de 2020-03-25 que determina a criação de uma linha de apoio financeiro, destinada a fazer face às necessidades de tesouraria das microempresas turísticas cuja atividade se encontra fortemente afetada pelos efeitos económicos resultantes do surto da doença COVID-19.

 

Mais informações aqui

COVID - 19

Governo lança site e app sobre o plano de resposta ao Covid-19

 

O Governo acaba de lançar o site covid19estamoson.gov.pt/ com o objetivo de apresentar numa plataforma única todas as informações relevantes sobre as medidas de prevenção e contenção do novo coronavírus. Este site pretende ser um guia prático para apoiar cidadãos, famílias e empresas no combate aos efeitos causados pelo COVID-19, dando-lhes a conhecer todos os apoios disponibilizados, bem como a documentação necessária - nomeadamente os formulários que devem preencher - para a efetivação dos seus direitos.

 

 

https://covid19estamoson.gov.pt/

 

 

Mais informações aqui

COVID - 19

Medidas relativas ao Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020

 

1. Os prazos de execução física e financeira dos projetos, cuja data limite para fim de investimento ocorra entre 1 de março e 15 de junho de 2020, serão automaticamente prorrogados por três meses.

 

2. É autorizada a apresentação de pagamentos intercalares com faseamento da submissão da despesa e respetivo reembolso.

 

3. Os prazos para submissão das candidaturas, no âmbito de anúncios em curso, cuja fixação do prazo é da competência da Gestora do PDR 2020, são prorrogados por 30 (trinta) dias.

 

Mais informamos que, caso tal venha a ser considerado necessário, estes procedimentos poderão ser revistos.

 

Mais informações aqui

COVID - 19

Governo anuncia quatro novas linhas de crédito

 

Com vista a manter e a preservar a capacidade produtiva das empresas, proteger o emprego e, assim, manter a atividade económica para a retoma quando ultrapassada a pandemia, o Governo anunciou hoje quatro novas linhas de crédito, disponibilizadas através das instituições bancárias e garantidas pelo Estado, que já foram notificadas à Comissão Europeia. Estas linhas acrescem à linha de âmbito geral, que abrange todos os setores económicos, do comércio, da indústria e dos serviços e já está disponível desde a semana passada.

 

No total, estas novas Linhas de Crédito representam 3 mil milhões de euros de financiamento adicional à economia, têm um período de carência até 12 meses, são amortizadas até quatro anos e destinam-se aos seguintes setores:

 

1) Restauração e Similares: 600 ME, dos quais 270 ME para Micro e Pequenas Empresas

 

2) Turismo – Agências de Viagens; Animação; Organização de Eventos e Similares: 200ME, dos quais 75 ME para Micro e Pequenas empresas

 

3) Turismo – Empreendimentos e Alojamentos: 900 ME, dos quais 300 ME para Micro e pequenas

 

4) Indústria – Têxtil, Vestuário, Calçado, indústrias extrativas (rochas ornamentais) e da fileira da madeira e cortiça: 1.300 ME, dos quais 400 ME para Micro e Pequenas Empresas.

 

Pretende-se, assim, minimizar o impacto nestes setores, em que o mesmo foi sentido mais abrupta e precocemente. O Governo continuará, naturalmente, a acompanhar a situação e a dirigir apoios a outros setores afetados, designadamente noutras áreas da indústria e no comércio e nos serviços, que, pela sua importância económica e social e as suas características próprias, carecem de medidas especificas.

 

O Governo encontra-se em estreita ligação com a Confederação do Comércio e Serviços e as associações do setor para assegurar que essas medidas sejam tempestivas e adequadas às suas realidades.

 

Atualmente, como referido, a Linha de Crédito de 200 milhões de euros já está disponível e as suas condições de acesso serão também atualizadas.

 

O Governo continua a monitorizar a situação e a procurar garantir as condições para que a estrutura produtiva se mantenha e que os contratos de trabalho sejam preservados durante esta situação excecional. Por outro lado, pretende o Governo, com estas e com outras medidas que venha a tomar, garantir que quando a curva epidemiológica for invertida, a atividade económica seja retomada e acelerada.

 

 

Mais informações aqui

COVID - 19

Covid-19: Mar anuncia medidas de apoio no âmbito do programa Mar 2020

 

Tendo em vista minimizar os impactos económico-financeiros da situação epidemiológica do novo coronavírus – Covid-19, o Ministério do Mar adotou um conjunto de medidas excecionais de apoio às empresas e outras entidades beneficiárias do Programa Operacional Mar 2020.

 

1. De modo a agilizar a realização de pagamentos, foram adotadas as seguintes medidas excecionais:

 

a) Sempre que, por motivos não imputáveis às empresas e demais entidades privadas beneficiárias do programa, não seja possível a validação do pedido de pagamento, no prazo de 20 dias úteis contados da data da respetiva submissão pelo beneficiário, o pedido é liquidado a título de adiantamento;

 

b) Os pedidos de pagamento validados nos termos da alínea anterior são pagos até ao valor máximo de 70% do apoio público que lhe corresponda, com periodicidade semanal;

 

c) Passa a ser possível aos beneficiários do programa submeter pedidos de pagamento com base em despesa faturada, mas ainda não paga pelo beneficiário, sendo esta considerada para pagamento a título de adiantamento, desde que a soma dos adiantamentos já realizados e não justificados com despesa submetida e validada não ultrapasse os 50% da despesa pública aprovada para cada projeto;

 

2. São elegíveis para reembolso as despesas comprovadamente suportadas pelos beneficiários em iniciativas ou ações canceladas ou adiadas por razões relacionadas com o COVID-19, previstas em projetos aprovados.

 

3. Em complemento ao previsto no número anterior,não são penalizados os projetos que, devido aos impactos negativos decorrentes do COVID-19, não atinjam o orçamento aprovado e a plena execução financeira prevista na concretização de ações ou metas, podendo ser encerrados como concluídos desde que não ponham em causa o alcance dos objetivos para os quais a operação foi aprovada.

 

4. Sempre que necessário, quando o prazo contratualmente definido para a conclusão do projeto tiver por referência o ano de 2020, esta data é objeto de alargamento, para 2021 e em prazo compatível com a finalização da sua execução físico-financeira.

 

5. É autorizada a apresentação de um maior número de pedidos de pagamento, para além do limite estabelecido na medida de flexibilização já adotada em finais de 2019, que permite a submissão de até 10 pedidos de pagamento em cada projeto.

 

 

Mais informações aqui

COVID - 19

Medidas de Apoio

 

No site do IAPMEI é possível ficar a par de todas as medidas de apoio no âmbito da COVID-19.

- Todas as atualizações:

- FAQs | Estabalecimentos abertos ao público

- Regulamentação do estado de emergência - Funcionamento das cadeias de abastecimento de bens e dos serviços públicos essenciais e condições de funcionamento - Despacho n.º 3547-A/2020 (22/03/2020)

- Execução da declaração do Estado de Emergência - Dec. nº 2-A/2020 (21/03/2020)

- Linha Capitalizar - COVID-19 | Perguntas Frequentes (20/03/2020)

- Linha de Apoio à Tesouraria para Microempresas do Turismo - COVID-19 (20/03/2020)

 

 

Mais informações aqui

COVID - 19

MEDIDAS EXCECIONAIS NO ÂMBITO DA CRISE COVID-19 COMO PROCEDER PARA ACEDER

 

No site da Segurança Social pode encontrar  a informação necessária sobre como aceder às medidas excecionais criadas no âmbito da COVID-19.

 

 

Mais informações aqui

COMUNICADO

SARS-CoV-2 (COVID-19) - Coronavírus

 

No âmbito das medidas de contenção de combate à pandemia da infeção por SARS-CoV-2 (COVID-19) - Coronavírus, vimos por este meio informar que os nossos serviços encontram-se substancialmente limitados até ao final do presente mês de março.

Até esta data não realizaremos qualquer atendimento presencial. Durante este período estaremos contactáveis apenas por email ou telefone.

Os programas atualmente em curso ficarão suspensos até ao final do presente mês.

 

Partilhamos as orientações da Autoridade de Saúde e do Governo Português de que é importante neste fase procurar conter ao máximo a propagação da atual pandemia de forma a podermos mais rapidamente regressar à desejada normalidade. O esforço de todos neste momento seguramente contribuirá para atingirmos mais celeremente esse desígnio coletivo.

 

Proteja-se e proteja os outros!

 

Agradecemos desde já a V. compreensão e pedimos desculpa pelos eventuais transtornos que esta decisão possa implicar.

 

Programa MOVE PME

CONTRATAÇÃO DE CONSULTORES/AS

 

Estamos a contratar no âmbito do Programa MOVE PME, financiado pelo COMPETE, consultores/as nas seguintes áreas:

- ISO 9001:2015 (refª MOVE_9001)

- ISO 22000:2018 (refª MOVE_22000)

- ISO 45001:2018 (refª MOVE_45001)

- ISO 13485 Dispositivos Médicos (refª MOVE_13485)

- Lean manufacturing, 5S,… (refª MOVE_LEAN)

 

Pretende-se:

- Consultores/as com mais de 15 anos de experiência profissional

- Sólida experiência e conhecimentos na área a que se candidatam

- Residência na Região Centro ou Norte

- CCP (Certificado de Competências Pedagógicas)

 

Os/as interessados/as deverão enviar CV acompanhado de valor hora de referência para rh@ifdep.pt. No assunto deverão indicar a referência a que concorrem.

Iniciativas

PROGRAMA NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL

 

O IFDEP encontra-se atualmente a desenvolver o Programa de Desenvolvimento Pessoal a nível nacional.

O programa visa, essencialmente, atuar sobre a pessoa, a forma como se vê, como se automotiva e reage às contrariedades. Dimensões como marketing pessoal, orientação para resultados, inteligência emocional, técnicas de autocontrolo emocional e de automotivação, técnicas de programação neurolinguística, saber encarar e lidar com a mudança são alguns dos conteúdos abordados no programa. O programa visa ainda atuar sobre algumas dimensões transversais ao exercício de uma qualquer atividade profissional, como sejam o trabalho em equipa, a comunicação, língua inglesa e informática.

Este programa tem a duração de 300 horas e envolverá mais de 300 participantes em todo o país.

O programa é cofinanciado pelo POISE (Programa Operacional Inclusão Social e Emprego) do Portugal 2020, no âmbito do FSE (Fundo Social Europeu)

Apoios

IAPMEI lança app para gestão de incentivos

 

O IAPMEI apresentou hoje a nova aplicação para mobile, juntamente com outros instrumentos de simplificação para a gestão de projetos de incentivos.

 

A app IAPMEI+ foi concebida para apoiar as empresas na gestão dos seus projetos de investimento e no cumprimento das obrigações associadas à sua execução, agilizando o processo e facilitando a interação com o IAPMEI.

 

Em termos de funcionalidade a nova app está dividida em quatro áreas principais:

 

Obrigações, onde os promotores vão poder consultar as próximas obrigações dos seus projetos, sincronizando-as com o calendário dos seus dispositivos móveis;

Projetos, onde se encontram listados todos os projetos em curso da empresa associados à app, bem como a indicação de quais os projetos por associar. Esta área permite ainda o acompanhamento da execução temporal e financeira dos projetos, o acesso a legislação específica de cada projeto e a consulta de todos os pedidos de pagamento submetidos.

Mensagens, um canal direto de comunicação entre o gestor de projeto do IAPMEI e a empresa;

Avisos, onde constam avisos automáticos, por empresa e por projeto, que remetem para o conteúdo correspondente.

 

A aplicação IAPMEI+ está disponível na Google Play Store e na App Store da Apple

 

 

Mais informações aqui

 

 

Iniciativas

Arrancou 3ª edição do Tourism Explorers

 

Está em curso a 3ª edição do Tourism Explorers, programa de criação e aceleração de startups na área do Turismo.

 

Até ao final do mês de julho, a Fábrica de Startups vai percorrer o país, num Roadshow nacional, para promover a 3ª edição do Tourism Explorers, cujas inscrições arrancaram esta terça-feira. Os interessados em participar só têm de se candidatar em www.tourismexplorers.pt.

 

Depois de duas edições, mais de 1.000 participantes e mais de 200 startups, o Tourism Explorers está de regresso a 12 cidades portuguesas, para ajudar a desenvolver negócios inovadores na área do Turismo. Dividido em Ideação e Aceleração, o programa vai decorrer, em simultâneo, em Abrantes, Angra do Heroísmo, Aveiro, Caldas da Rainha, Coimbra, Covilhã, Évora, Faro, Lisboa, Portalegre, Porto e Setúbal.

 

O Tourism Explorers é um programa gratuito (mediante inscrição) organizado pela Fábrica de Startups, em parceria com o Turismo de Portugal, que tem como objetivo promover o empreendedorismo em Portugal, através da criação e apoio ao desenvolvimento de novas startups relacionadas com o setor do turismo.

 

Mais informações aqui

 

 

MOVE PME

IFDEP IMPLEMENTOU SISTEMAS DE GESTÃO DA QUALIDADE EM 30 EMPRESAS DAS REGIÕES NORTE E CENTRO DO PAÍS

 

O IFDEP implementou sistemas de gestão da qualidade segundo a NORMA ISO9001:2015 em 30 empresas das regiões Norte e Centro do país, no âmbito do Programa MOVE PME.

No âmbito deste programa o IFDEP desenvolveu igualmente três ciclos de formação avançada dirigida aos gestores e quadros superiores das empresas participantes que abrangeram diferentes temáticas cruciais à vida de qualquer organização. Ao todo o projeto envolveu aproximadamente 150 participantes. No final o IFDEP conseguiu ultrapassar todos os objetivos inicialmente definidos: superou o número de candidaturas recebidas; o número de empresas participantes; o número de empresários e trabalhadores envolvidos; implementou planos de mudança organizacional em todas as organizações participantes e, no final do projeto, todos os inquiridos consideraram estar mais aptos para a inovação e gestão após a frequência do programa.

A metodologia utilizada no MOVE PME é a formação-ação. Trata-se de uma metodologia que implica a mobilização em alternância das vertentes de formação (em sala) e de consultoria (on the job).

 

O IFDEP desenvolve o Programa MOVE PME desde 2009, tendo envolvido ao longo deste tempo mais de 200 empresas das Regiões Cento e Norte do país, mais de 2.500 formandos e um volume de formação a rondar as 100.000 horas.

O MOVE PME tem como Organismo Gestor a AIP (Associação Industrial Portuguesa) e é cofinanciado pelo COMPETE2020 (Programa Operacional Competitividade e Internacionalização). Está inserido na Prioridade de Investimento (PI) 8.5 do Eixo III do domínio da Competitividade e Internacionalização que como objetivo específico intensificar a formação dos empresários e gestores para a reorganização e melhoria das capacidades de gestão, assim como dos trabalhadores das empresas, apoiada em temáticas associadas à inovação e mudança.

 

Portais

RGPD | IAPMEI, IPAC e IPQ disponibilizam portal de informações para empresas

 

O IAPMEI, o Instituto Português de Acreditação (IPAC) e o Instituto Português da Qualidade (IPQ), entidades tuteladas pela Secretaria de Estado da Indústria, do Ministério da Economia, disponibilizam a partir de hoje, 25 de maio, um portal de informações relativo à entrada em vigor do Regulamento Geral de Proteção de Dados.

 

Este portal, sedeado no site do IAPMEI, mas com ligações disponíveis a partir dos sites dos restantes institutos, destina-se a apoiar o tecido empresarial português, particularmente as PME, no entendimento e eventual adoção de medidas necessárias para estar em conformidade com o regulamento europeu.

 

Pretende-se que este esforço conjunto entre IAPMEI, IPAC e IPQ não seja estanque, devendo as informações presentes no Portal RGPD ser atualizadas sempre que necessário.

 

Além das informações mais relevantes sobre o RGPD desde o ponto de vista empresarial, as entidades encontrarão também um conjunto de respostas às perguntas mais frequentes, incluindo as relativas à acreditação e certificação, uma lista de links mais relevantes sobre o regulamento, assim como um espaço para a apresentação de dúvidas.

 

Consulte toda a informação no novo Portal RGPD.

Programas

Venture Cup Portugal 2018 | Candidaturas até 1 de junho

 

Está a decorrer até 1 de junho o prazo para submissão de candidaturas ao Venture Cup Portugal 2018.

 

O concurso, com a final agendada para dia 22 de junho, em Coimbra, vai eleger as melhores startups nacionais, em três categorias: Greentech and Energy; Healthtech; e ICT and Service Innovation.

 

As vencedoras vão representar Portugal na Competição Mundial de Startups Universitárias, que vai ter lugar no próximo mês de outubro, na Dinamarca.

 

 

Mais informação aqui.

 

 

Programas

Programa de Investimento em Territórios de Baixa Densidade dinamizado pelo TURISMO DE PORTUGAL

 

Estão abertas as candidaturas ao programa da Turismo Fundos que disponibiliza 25 milhões de euros para operações de investimento imobiliário em territórios de baixa densidade, com vista a dinamizar o investimento e a criação de emprego.

O programa destina-se a pequenas e médias empresas cujos projetos de investimento traduzam a valorização económica dos ativos imobiliários através de atividades turísticas, ou outras relacionadas, que promovam o desenvolvimento, a dinamização e a sustentabilidade das economias locais e regionais.

São fatores diferenciadores o contributo para a redução das assimetrias regionais e sazonalidade na procura dos territórios, para a valorização do património cultural e natural do país, assim como, para o desenvolvimento sustentável das comunidades locais e o grau de inovação do projeto a realizar.

A Turismo Fundos pretende, assim, intensificar a sua intervenção através dos fundos de investimento que tem sob gestão, que permitem disponibilizar às empresas recursos financeiros imediatos, pela respetiva alienação dos seus ativos patrimoniais aos fundos e subsequente tomada de arrendamento.

 

As candidaturas decorrem até 31 de julho de 2018

Este programa traduz-se nas seguintes ações:

• Na aquisição, através da Turismo Fundos, da propriedade de ativos, permitindo, com o produto dessa alienação, dotar as entidades candidatas dos meios financeiros necessários à valorização económica dos respetivos ativos imobiliários;

• Na celebração com a entidade candidata, simultaneamente com a aquisição pela Turismo Fundos, de um contrato de arrendamento sobre os respetivos imóveis, com opção de compra.

 

A apresentação das candidaturas decorre de 15 de maio a 31 de julho e é efetuada através do preenchimento do formulário.

 

Condições de Acesso dos Ativos

• Corresponderem a prédios urbanos ou a frações autónomas de prédios urbanos

• Apresentarem uma situação matricial e predial regularizada

 

Condições da Operação de Investimento

• O valor por operação pode ascender até ao montante máximo de € 3.000.000

• O prazo do contrato de arrendamento é, no máximo, de 15 anos e, no mínimo, de 3 anos

• A renda anual corresponde à Euribor a doze meses, com mínimo zero, acrescida de 1,5%, aplicável sobre o valor da aquisição do imóvel por parte da Turismo Fundos

• Atentas as características de cada operação, pode a Turismo Fundos definir outras condições, tais como períodos de carência para o pagamento da renda e garantias de cumprimento das obrigações a assumir

• A empresa poderá exercer uma opção de compra sobre o imóvel, a partir do 3.º ano de vigência do arrendamento e até ao término do respetivo prazo

 

O IFDEP apoia a sua organização no acesso a esta medida. Para mais informações contactar 239403030 ou geral@ifdep.pt

 

 

Programas

Programa MOVE PME

 

O IFDEP está atualmente a concluir mais uma edição do Programa MOVE PME. No âmbito deste programa foi possível envolver 30 empresas das Regiões Norte e Centro do país de diferentes setores de atividade.

Com a realização deste programa foi possível atingir os seguintes objetivos:

- Preparar as empresas para a Certificação, segundo referências / normativos nacionais e/ou internacionais.

- Otimizar processos, reduzindo não conformidades e ineficiências.

- Aumentar a visibilidade das empresas e credibilizar a sua atuação junto dos stakeholders.

 

O MOVE PME é um programa de formação-ação desenvolvido pelo IFDEP (Instituto para o Fomento e Desenvolvimento do Empreendedorismo em Portugal) no âmbito do PORTUGAL 2020. Este programa visa a melhoria dos processos de gestão das micro, pequenas e médias empresas e o reforço das competências dos seus dirigentes, quadros e trabalhadores.

A área de intervenção desenvolvida pelo IFDEP inseriu-se no domínio da Implementação de Sistemas de Gestão. Admitindo a importância para muitas organizações da transição da NORMA ISO9001:2008 para a NORMA ISO9001:2015, o principal enfoque desta edição foi o processo de adaptação do sistema de gestão da qualidade às exigências introduzidas pela nova versão da NORMA ISO9001.

 

 

Financiamento: assegurado em 90% pela Autoridade de Gestão do POCI (COMPETE 2020).

Organismo Intermédio: AIP/CCI – Associação Industrial Portuguesa, Câmara do Comércio e Indústria.

 

Programas

Programa REVIVE

 

No âmbito do Programa Revive, encontra-se disponível às empresas a Linha de Crédito com Garantia Mútua – Programa Revive, com um valor global de 150 milhões de euros. Este instrumento financeiro é disponibilizado pelas instituições de crédito, em parceira com o Turismo de Portugal e o sistema português de garantia mútua (SPGM).

 

Ao abrigo desta linha será possível financiar operações até ao montante máximo de 7,5 milhões de euros por empresa, com um prazo máximo de operação de 20 anos, incluindo até 5 anos de período de carência.

 

O património imobiliário público constitui uma componente relevante da identidade histórica, cultural e social do país, um elemento rico e diferenciador para a atratividade das regiões e para o desenvolvimento do turismo. É, por isso, determinante assegurar a sua preservação, valorização e divulgação, bem como um acesso alargado à sua fruição.

 

É neste âmbito que o Programa Revive promove e agiliza os processos de rentabilização e preservação de património público que se encontra devoluto, tornando-o apto para afetação a uma atividade económica com finalidade turística, gerar riqueza e postos de trabalho, promover o reforço da atratividade de destinos regionais, a desconcentração da procura e o desenvolvimento de várias regiões do país.

 

Programas

Programa COHiTEC 2017 - Sessão Final - 11 de julho, 14:00 - Reitoria da Universidade Nova de Lisboa

 

DESCRIÇÃO

O Programa COHiTEC 2017 terá a sua sessão final no próximo dia 11 de julho, na Reitoria da Universidade Nova de Lisboa, a partir das 14h00.

Na sua 14.ª edição, o COHiTEC é um programa pioneiro de capacitação de investigadores na comercialização de novas tecnologia e de aproximação ao mercado do conhecimento produzido em instituições de ensino superior e unidades de investigação nacionais.

Ao longo dos últimos quatro meses, 15 equipas compostas por investigadores, alunos de gestão e mentores exploraram a viabilidade comercial de tecnologias emergentes de elevado potencial de impacto que serão apresentadas nesta sessão final.

Programa

14h00 Registo

14h30 Boas-vindas

Rita Campos e Cunha, Nova School of Business and Economics

Jorge Portugal, COTEC Portugal

14h45 Apresentação de projetos

Apresentação de 9 projetos participantes no COHiTEC

16h15 Coffee-break

17h00 Apresentação de projetos

Apresentação de 6 projetos participantes no COHiTEC

18h00 Wrap-up

Angus Kingon, Brown University

Roger Debo, North Carolina State University

18h15 Encerramento

Ramon O’Callaghan, Porto Business School

Stephan Morais, Caixa Capital

Jorge Portugal, COTEC Portugal

João Vasconcelos, Secretário de Estado da Indústria *

* A confirmar

A sessão decorrerá em português e em inglês

 

Mais informações aqui

 

Simplex +

ENTRADA EM VIGOR DAS ALTERAÇÕES AO REGIME JURÍDICO DOS EMPREENDIMENTOS TURÍSTICOS

 

Entrada em vigor das alterações ao Regime Jurídico dos Empreendimentos Turísticos

No âmbito do Simplex+, foi identificada a necessidade de simplificar o regime de jurídico dos empreendimentos turísticos, nomeadamente quanto à agilização dos procedimentos relativos à instalação dos empreendimentos turísticos, bem como à diminuição da imprevisibilidade de tempo de análise dos processos de instalação dos empreendimentos turísticos.

Neste sentido, o Decreto-Lei n.º 80/2017, de 30 de junho, entra em vigor no dia 1 de julho 2017 e concretiza a medida “Licenciamentos Turísticos+ Simples” e visa ultrapassar as dificuldades registadas no processo de instalação dos empreendimentos turísticos, seja através da simplificação do regime procedimental em vigor, seja através de criação de mecanismos de articulação entre as várias entidades com competências no processo.

 

Mais informação aqui

 

 

1

2

3

4

IFDEP
FAME

:: MORADA

 

Rua da Guiné nº 40, 3º Dto

3030-054 Coimbra

PORTUGAL

 

t. +351 239 403 030

f. +351 239 403 040

:: EMAILS

 

Geral: geral@ifdep.pt

Formação: formacao@ifdep.pt

Recursos Humanos: rh@ifdep.pt

Programa EGE: ege@ifdep.pt

Fame: fame@ifdep.pt

Direc Financeira: financeiro@ifdep.pt

:: COORDENADAS GPS Latitude: 40.1988715º Longitude: -8.4061610º URL: www.ifdep.pt